sexta-feira, 6 de julho de 2007

100 Anos de Dercy Gonçalves na Le Boy





A grande comediante brasileira jamais será uma Dona Benta, seu espírito é jovem e irreverente. Fez do palavrão cavalo de batalha. Responde com toda convicção: "Sou um retrato do País, que é a própria escrotidão".
Com essas características ela se tornou a primeira estrela da TV Globo-Canal 4 ao comandar o programa "Dercy de verdade", exibido aos domingos em 1966, das 20h às 22h.
Ela comandava o show, que passou a ser o grande líder de audiência da emissora. Era uma atração de grande apelo popular, cujo lema era ajudar aos necessitados. Ela fazia chamadas pedindo cadeiras de roda, óculos, bengalas e casas para os que precisavam. Como a audiência era enorme, os que precisavam de alguma ajuda formavam filas gigantescas na frente do auditório
da emissora, no Jardim Botânico.
Sua equipe de reportagem selecionava os assuntos mais sensacionais, enquanto a parte do programa destinado aos donativos ficavam por conta do sobrinho da artista. Durante a enchente de 1966, no Rio de Janeiro, enquanto o "Jornal nacional" fazia chamadas ao vivo, Dercy levava as câmeras para a rua e transferia seu programa para o terraço da Globo, chamando a atenção dos telespectadores para a emergência de se enviar agasalhos para os desabrigados. Resultado: o auditório da emissora ficou abarrotado de donativos. Com isso, a audiência levou a Globo — é bom lembrar que a emissora dava os seus primeiros passos — à liderança absoluta começando a atrair o público cativo das emissoras mais importantes da época, como: TV Tupi, TV Rio e TV Excelsior. Nas quartas-feiras ela atuava em outro sucesso da emissora o "Dercy de comédia", nos mesmos moldes do que fizera na TV Excelsior. Em 1971,
Dercy foi para a TV Record, onde estreou como a namorada do Bronco, no programa "Família Trapo" e, meses depois, criou o programa "Dercy em Família" nos mesmos moldes do que havia feito na Rede Globo. Viva Dercy!

No próximo sábado, 28 de julho de 2007, DERCY GONÇALVES, ou Dolores Costa Bastos (nascida a 23 de junho de 1907), vai comemorar oficialmente o seu aniversário na boate Le Boy, Copacabana.

Em entrevista ao bloqueiro ela comentou:

Dercy - Tenho o ano que sinto,quantos anos vou viver mais não importa. O que importa é o presente.
Eu - Vc fez o sucesso da Rede Globo quando apresentava o programa "Dercy de Verdade", em 1966, que foi o maior sucesso na emissora iniciante. Naquela época todos assistiam à TV Excelsior, a Tupi e a TV Rio, mas vc levou o público para a Globo.
Eu - Vc fez grande novelas, como "Deus nos acuda" e "Que rei sou eu?", na Globo.
Dercy - Aliás, essa última foi muito divertida.
Eu - Vc se dava bem com a Tereza Rachel?
Dercy - Nem olhava pra cara dela, é muito besta.
Eu - Mas antes de fazer essa novela vc fez na TV Bandeirantes, a novela "Cavalo Amarelo", que fez tanto sucesso que resolveram esticá-la com "Dulcineia,vai a guerra!".
Dercy - Vc conhece mesmo a minha vida! Foram dois trabalhos bacanas.
Eu - Dercy, vc vai comemorar seu aniversário na Le Boy, que é uma boate gay. Então, eu gostaria de saber o que vc acha dos gays?"
Dercy - Adoro eles. Se querem dar o cu, o problema é deles. Tive grandes amigos gays. Trabalhei durante anos com o Luiz Carlos que era gay assumido, fui amiga de Madame Satã. Amiga não, eu a conhecia dos Cabarés da Lapa e ela me respeitava muito.
Eu - O que vc espera do futuro?
Dercy - Não espero nada. Não acredito em amigos, nem em Deus, mas sim na Natureza. Você já reparou como ela é bonita? Como é bonita uma árvore, um rio, uma flor? Até os mosquitos trepando são bonitos, pois é a natureza.
Eu - Vc é única. Daqui a dez anos, surgiram outras Fernandas Montenegro,Dulcina, Morineau, Bibi, Marília Pêra, mas Dercy Gonçalves é só uma. Você criou um comportamento irregular que é só seu. Aliás, não é a toa que o grande autor Paulo Pontes considerava vc mais importante do que a Fernanda Montenegro. Por ser única.
Dercy - Muito obrigado!


"Por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima" (Dercy Gonçalves)

2 comentários:

robson disse...

muito bem!!!
arrebenta qdo o assunto é NOSTALGIA!
grande abraço,
robson agra

Senna carioca disse...

Robson,
só quem tem sensibilidade admira um trabalho de preservação da memória nacional.
Obrigado!